Reflexão de Natal

28.11.10

O Natal aproxima-se…

O que será mais importante no Natal dos nossos filhos?

O sucesso que eles obterem na escola?

A alegria quando abrem os presentes que levaram o subsídio de férias dos pais?

O abraço e o beijo de parabéns por terem sido bons meninos ou boas meninas?

A reunião familiar que só se consegue nestas ocasiões devido ao frenético e angustiante dia-a-dia dos pais?

O brinquedo dado ao vizinho mais pobre do bairro num sonho de solidariedade?

As roupinhas que já não servem que as crianças levam com sorriso aos mais pequenos de uma instituição de solidariedade?

O incutir a amizade, solidariedade, ajuda, carinho, dádiva…às crianças, não será o melhor do Natal?

Afinal o que é mais importante no Natal?

Ensinar aos mais novos que há 2010 anos nasceu o salvador? Aquele Homem como qualquer um de nós que foi capaz de morrer pela salvação do Mundo?

Que tipo de Natal gostaria Jesus que nós mostrássemos para ele?

O Natal do supermercado? O Natal da família com bacalhau, perú e muitos doces? O Natal dos amigos que já não se vêem há muito tempo? O Natal na igreja beijando o menino Jesus num significado de oração e alegria por sabermos que Ele ainda hoje faz “brilhar” sorrisos nas crianças, mas não faz brilhar nada nos adultos?

Não consigo definir mais o Natal, porque para mim, Natal, são todos os dias, quando me levanto e lembro que tenho trabalho, que tenho família, que tenho as minhas crianças (filhos adoptivos por algumas horas) que me preenchem o dia com aborrecimentos mas muitas alegrias. Natal é isso, é dádiva que tento dar todos os dias e por eles consigo caminhar, lutar por um futuro melhor para o nosso país. Jesus Cristo morreu por nós e nós hoje morremos por Ele, dando o melhor que conseguimos pelas gerações que nos sucedem.

Um Feliz Natal para todos!

Rosa Familiar

tags:
publicado por Yaleo às 13:18

Arrifana desprezada

13.11.10

“A  Assembleia de Setembro fez tremer as hostes laranjas”

Partindo deste título, encontrado num dos blogs da terra, resta-me dizer que a laranjada de Arrifana já não possui hostes. “Ou foge deles ou junta-te a eles”, parece que assim aconteceu. No entanto, nem com as dicas de toda a bancada conseguiram fazer tremer a Câmara Municipal e exigir responsabilidades. Como tal, ou as assumem ou não passam de uns falhados a governar esta pequena Vila, tal como um governo falhado a governar Portugal. Está na hora de virem a público dizerem perante todos os arrifanenses que falharam, que não conseguiram. A sinceridade acima de tudo. Não nos basta atirar a falhar para os outros, como se assim nos víssemos livres do pecado. Não basta pedir perdão e fazer como Pilatos, daqui lavo as minhão mãos…afinal esta terra teve tudo para crescer, só não cresceu porque quem nos governou não quis.

Já não consigo entender, se o facto de serem “laranja” é motivo para a regressão, ou se a laranja apodreceu de tal modo que nem a casca se aproveita.

Realizarem uma Assembleia, onde o caso mais polémico da terra nem entrava na ordem de trabalhos, mostra a importância dada ao ensino, mostra a falta de luta que queriam fazer passar para os arrifanenses como sendo uma luta “laranja” quando nunca o foi, mostra o interesse no sucesso educativo das crianças que frequentam o ensino oficial, mostra a felicidade dos seus aliados.

Como era de esperar o movimento independente UPA, esteve mais uma vez à altura de fazer cumprir aquilo que quem governa nem vê. Eduardo Costa, exigiu que este assunto fosse colocado na ordem de trabalhos como ponto número quatro e assim foi feito, infelizmente sem qualquer sucesso, afinal o que importa a esta Junta de Freguesia, são sinais de trânsito, posturas para aqui e para acolá, todas para fazer o jeito a alguém que se anuncia como anónimo. Falar, agir, concretizar…nada, simplesmente nada. Nem algo coerente sobre o Encerramento da escola de Manhouce, que teve de ser aceite por todos como facto consumado pelo Ministério da Educação, quando todos nós sabemos que não é verdade. É real e visível que a jogada foi mais salvaguardada para a não construção do Centro escolar.

Com o encerrando Manhouce, viam-se livres de ter de construir aquilo que tinha de ser construído. Muita tinta ainda vai correr sobre este assunto, haja gente capaz de fazer mover moinhos de Arrifana e tudo será posto a “nu” para os Arrifanenses.

Lamentavelmente Arrifana está a ser “desprezada” pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, esta esqueceu-se que ali há gente com carácter que merece respeito. Arrifana está esquecida e a ficar para trás, retrocedendo ao tempo dos meus avós, em que tudo era uma ordem.

Caro cidadão arrifanenses, como arrifanense de gema, nascida e criada nesta terra, vejo-a apagar-se aos poucos em detrimento de outras que crescem quem sabe com o nosso dinheiro. Os arrifanenses escolheram mal, e agora estão a pagar a factura bem paga.

Analisem o que este executivo fez durante um ano, depois de ter em campanha eleitoral prometido mundos e fundos, analisem a obra executada, chegarão à conclusão que não fez rigorosamente nada e nada continuarão a fazer, até que o povo comece a exigir nas Assembleias.

A crise é para todos, mas a crise não começou há mais de 20 anos, nunca esqueçam isto.

publicado por Yaleo às 11:17

mais sobre mim

pesquisar

 
Users Online

comentários recentes

  • Linda fico contente por ver que passaste um excele...
  • Olá "desconhecido"Sim é preciso fazer formação, ma...
  • Todos nós deveria-mos pensar assim, só que não tem...

mais comentados

links

Novembro 2010

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30